domingo, 30 de agosto de 2015

[Resenha] Dragon Ball #01 ~ Son Goku e seus companheiros (Panini Comics) PARTE 2 ~ Análise dos aspectos estruturais e estilísticos


Estou voltando com a segunda parte da resenha sobre o primeiro volume de Dragon Ball, mangá publicado pela Panini Comics/Planet Mangá em 2012. Neste texto vou tratar da estrutura interna do mangá, como ele se organiza, e falar sobre alguns elementos da história como, por exemplo, as personagens que aparecem neste volume. Se você não viu a primeira parte desta resenha, clique aqui.

O primeiro volume do mangá intitulado Son Goku e seus companheiros (em japonês: 孫悟空と仲間たち ~ lê-se: Son Gokū to Nakamatachi) pertence ao primeiro arco da história O treinamento de Son Goku – que compreende os capítulos 01 até o 54 – e é composto por onze capítulos. Podemos dizer que esses onze capítulos do primeiro volume do mangá correspondem aos episódios um ao sete da primeira saga do anime, a Saga de Pilaf. Contudo, Pilaf e sua turma, cujas aparições se dão já no primeiro capítulo do anime, não aparecem neste volume, dando as caras apenas no volume dois, no décimo oitavo capítulo.

Sinopse do enredo
Este volume trata basicamente, como o próprio título se refere, da apresentação de Goku, a personagem central de Dragon Ball, e sua turma, bem como o início da aventura, a qual alude o título do mangá: a procura pelas sete esferas do dragão, a fim de invocar o deus-dragão Shen Long para que realize um desejo. Claro, que outras personagens principais (como Kuririn, por exemplo) serão introduzidas em outros volumes e ganharão destaque também. Porém, creio que neste volume está a maioria das personagens envolvidas nessa aventura inicial em que Goku se envolve com Bulma na busca pelas esferas do dragão.

Estrutura do mangá
“Son Goku e seus companheiros” tem onze capítulos e uma seção extra com uma “Coletânea de páginas de abertura!”. Este volume está estruturado da seguinte forma:

Capítulo 1 « Bulma e Son Goku
Capítulo 2 « As bolas sumiram!!
Capítulo 3 « Goku vai para o mar
Capítulo 4 « A Nuvem Voadora do Mestre Kame
Capítulo 5 « A aparição de Oolong!
Capítulo 6 « Oolong versus Son Goku
Capítulo 7 « Yamcha e Pual
Capítulo 8 « O Terrível Yamcha!!
Capítulo 9 « As Esferas do Dragão em perigo!
Capítulo 10 « O grande plano de assalto
Capítulo 11 « Gyumaoh, o Rei do Monte Frigideira
Extra « Coletânea de páginas de abertura!

Além disso, no final foram inclusos um Glossário com explicações para termos, situações e nomes de personagens e uma «Seção "Tudo sobre"« Dragon Ball do mestre Toriyama com cinco perguntas e respostas, na qual Akira responde a perguntas feitas pelos leitores japoneses sobre ele mesmo e sobre o mangá.  Particularmente, gostei muito dessa seção!












Elementos da narrativa
Vou comentar alguns aspectos como espaço, tempo, enredo, narrador e personagens levando em conta apenas o primeiro volume do mangá.

Cenários e tempo narrativo – como o próprio mestre Akira explica “o cenário de Dragon Ball tem uma atmosfera chinesa, mas não é necessariamente na China”. Independentemente dessa indefinição, o cenário é bem variado nesse primeiro volume, mas sempre com uma presença marcante de elementos da natureza: paisagem natural incluindo animais diversos. Por outro lado, outros cenários mais próximos da paisagem urbana também marcam presença. Podemos citar, por exemplo, o vilarejo no qual se dá a aparição de Oolong, o Castelo do Gyamaoh etc.

Quanto ao tempo narrativo, Toriyama também nos dá uma pista: “não defini uma época exata para esta história”. Embora, não possamos situar a narrativa em nossa cronologia, podemos dizer seguramente que a história mistura elementos que fazem alusão a um tempo passado mesclado com elementos futuristas. Se por um lado, temos personagens marcadas pelo telurismo, de outro temos as que são influenciadas pela tecnologia. Parece-me então, uma tentativa de unir no presente narrado, elementos que polarizam, mas convivem numa mesma linha temporal: o rústico e o sofisticado, o tradicional e o moderno. Bom, não vou me estender nesse tipo de análise.

Enredo – Mais uma vez, destacando a fala de Toriyama: “De forma geral, o enredo está pronto, mas eu penso em ir incrementando os detalhes e decidir o final de improviso, no decorrer dos capítulos”. Gostei desse lado sincero do autor em ter admitido o uso da improvisação, o que não tira a qualidade do trabalho, uma vez que, como o próprio autor afirma, a linha central do enredo parece estar definida. E, convenhamos, numa história grande como essa que é publicada à medida em que se escreve é praticamente impossível que ela não sofra alterações decorrentes da própria recepção dos leitores em relação aos capítulos publicados.

O enredo trata basicamente da procura pelas esferas do Dragão, como eu disse na sinopse mais acima, mas no desenrolar da narrativa, nota-se que essa é apenas uma das linhas de enredo do mangá – que pode até ser colocada como a principal – e, portanto, não é o único elemento motivador que direciona a ação no mangá. Porém, é seguro afirmar que, além de ser uma motivação inicial, a busca pelas esferas são o meio pelo qual a personagem central, Goku, desenvolve suas habilidades e, de certa forma, sua própria personalidade, mesmo mantendo a essência.

Gosto da forma como o enredo é conduzido em Dragon Ball. Apesar de se notar o ritmo acelerado na localização das esferas no mangá, há uma quebra dessa velocidade com a introdução de algumas situações paralelas, a maioria cômicas, mesmo quando há ação.

Narrador – No início e no final de cada capítulo há um trecho de narração. Dragon Ball segue um formato de HQs mais antigas, com discurso de narrador bem destacado nos quadros. Para quem nunca leu DB e também nunca assistiu ao anime, a história proporciona certa dose de mistério, suspense e surpresa. Particularmente, a parte das revelações, eu curto bastante. Só não há mistério e suspense nas intenções das personagens. Estas são retratadas com muita clareza e há muitos balões de pensamento revelando seus propósitos.




Personagens – o conjunto de personagens em Dragon Ball é bem diverso e no primeiro volume aparecem várias dos mais diversos tipos. Contudo, vou comentar apenas sobre as mais relevantes na ordem em que aparecem no mangá. Recomendo a leitura dessa parte só para quem já tiver visto o anime ou lido o mangá para não estragar alguma surpresa.

AVISO: esta parte pode conter SPOILER!

Goku (Son Gokū ~ em kanji: ) – é um menino, ou melhor, um adolescente órfão de 14 anos de idade com aparência e tamanho de criança, que se diferencia de um humano qualquer por ter um rabo. Mora na casa do falecido avô de quem herdou uma esfera de quatro estrelas. É inocente e ao mesmo tempo corajoso. Tem espírito de luta e sobrevive de caça. É, resumindo, a personagem central.

Goku é o tipo de personagem que tem carisma suficiente para envolver o leitor e, para dizer a verdade, se você não simpatizar com ele, não acho que valha a pena investir tempo lendo o mangá, pois Goku é praticamente o centro de todas as linhas de enredo presente em Dragon Ball, embora notemos um esforço significativo de Akira em desenvolver cada uma de suas personagens e lhes dar um digno espaço dentro da narrativa, conferindo-lhes relevância suficiente para que despertem também a simpatia (ou antipatia) dos leitores.

Por falar nisso, é incrível como ele consegue fazer com que os vilões mudem de lado e passemos a gostar deles. Eu, por exemplo, passei pela fase do ódio sendo convertido em amor por praticamente todos os vilões. O único com quem não simpatizo é o Pilaf, que eu me lembre. Acho que isso é o que fazem as boas histórias, promovem uma mudança não só dentro da história, mas na vida, na mente, na forma de pensar das pessoas. Acho isso incrível! Dragon Ball nos transmite muitas lições!!!


Bulma (leitura em katakana: ブルマ, referência à "bloomers", short feminino popular no início do séc. XX)  é uma garota de 16 anos, estudante, cheia de aparatos tecnológicos e portadora da esfera de duas estrelas. Ela investiga a história das esferas e, após descobrir que ao juntá-las é possível invocar um dragão e lhe pedir para que realize um desejo, resolve se aventurar em busca das demais. 

Em seu período de férias da escola, munida de Cápsulas Hoi-Poi e seu Dragon Radar, Bulma encontra a esfera de cinco estrelas. Quando parte para a captura da próxima dragon ball, ela se depara com Goku, dono da esfera de quatro estrelas. Ela, então, consegue convencê-lo a se envolver em sua busca frenética pelas outras esferas e se envolve em situações inesperadas e até mesmo hilárias.

A propósito, Bulma forma uma dupla excelente com Goku, principalmente nas cenas cômicas. Ela também é muito explorada, aliás, em outros tipos de cenas. Como posso dizer? Tentativas de agradar o público masculino... O corpo da Bulma, que por sinal, é bem bonito, é explorado por diversas vezes ao longo do primeiro volume em cenas de nudez, outras com conotação erótica ou sexual etc.


Shen-Long (Shenlong ~ em kanji: 神龍 ~ leitura em katakanaシェンロン ~ romaji: lê-se “Shenron”) – deus-dragão que pode ser invocado quando são reunidas as sete esferas. Sua aparição de fato não se dá neste volume, porém, podemos visualizá-lo já no primeiro capítulo, quando Bulma explica para Goku (e para nós também) a história sobre as esferas do dragão. Ele é retratado como uma figura imponente e de expressão agressiva.


Umigame (leitura em katakana:ウミガメ) – é uma tartaruga do mar a quem Goku presta auxílio e logo descobrimos que se trata de uma tartaruga que mora com Muten Roshi, o Mestre Kame, seu amigo. Umigame é uma tartaruga de temperamento amável e gentil. Quando Goku o encontra, ele o confunde com uma grande pedra.


Mestre Kame (Kame Sennin ~ em kanji: 亀仙人) – também conhecido como Muten-Rōshi (em kanji: 武天老師), é um velhinho que tem um casco de tartaruga nas costas, mora numa ilha no meio do mar e é mestre em artes marciais. Ele se revela logo de início um inveterado interesse nas formas femininas, em outras palavras, um pervertido nato. Meste kame é o companheiro de Umigame e é o portador da esfera de três estrelas, que é dada à Bulma em troca de alguns segundos de exibicionismo. É ele que dá a Goku a nuvenzinha voadora, a Kinto-un.


Oolong  (Ūron ~ leitura em katakana:ーロン, nome de um chá chinês tradicional) – é um porquinho metamorfo aficionado por calcinhas. É, digamos, o primeiro adversário de Goku. Essa personagem é introduzida no capítulo cinco, quando Bulma e Goku passam por uma vila misteriosa em busca de uma das esferas, a de seis estrelas. 

Pual – (プーアル, Pūaru, trocadilho para Pu-erh, um chá chinês) é um gatinho azul metamorfo, ex-colega de classe de Oolong em uma escola de transformação e amigo de Yamcha, com quem vive no deserto.


Yamcha (leitura em katakana: ヤムチャ) – é um jovem lutador de artes marciais, adepto do estilo Rōga fūfū ken (em kanji: 狼牙風風拳 ~ Punho do Lobo Selvagem). Mora no meio do deserto e segue o banditismo como estilo de vida, roubando dinheiro e cápsulas Hoi-Poi. Tem uma timidez elevada que o impede de se relacionar com mulheres, não conseguindo nem mesmo falar diante delas (me faz lembrar o Raj – Rajesh Koothrappali – de Big Bang Theory).


Chi-Chi (leitura em katakana:チチ) –  é uma menina medrosa que aparece numa cena em que está vestida numa roupa sexy e usando um capacete, fugindo de um dinossauro. Mais à frente, descobre-se que ela é uma princesa e filha do rei cutelo (Gyūmaō).


Gyumaoh (em kanji: 牛魔王 ~ Gyūmaō; Ox King) – é o rei da montanha do fogo e é também, como se descobre depois, o pai de Chi-Chi. É enorme e tem uma aparência e comportamento que impõem muito medo em quem o vê. No finalzinho do volume, descobrimos que seu mestre é o Muten-Rōshi.


Resumo das aparições de personagens no primeiro volume:
Personagem             Capítulo
Goku                       01
Bulma                     01
Shenlong*                01
Umigame                 03
Mestre Kame            03
Oolong**                 05 / 06
Pual                        07
Yamcha                   07
Chi-Chi                    11
Gyumaoh                 11

* Shenlong não aparece realmente neste capítulo. Apenas podemos visualizá-lo num trecho em que Bulma conta à Goku sobre as esferas do dragão.
** Oolong aparece no capítulo 05 transformado, primeiro em um ogro gigante, em seguida, em humano e, depois, em touro. Sua verdadeira aparência só é conhecida no capítulo 06.

O estilo de Akira Toriyama
Tanto o estilo narrativo quanto o traço de Toriyama é único e inconfundível. Como desenhista, sua arte é bela e atenta às minúcias. É fácil perceber o cuidado que ele teve ao criar suas personagens, assim como o cenário, pela riqueza de detalhes. As cenas de lutas são empolgantes e as expressões faciais das personagens são tantas que é difícil contar quantas foram usadas só nos capítulos desse primeiro volume. Como escritor, sua história mistura personagens carismáticas num enredo envolvente cheio de comédia, ação e aventura.



















Título: Dragon Ball
Volume: 01
Autor: Akira Toriyama
Dimensões: 13,7 x 20cm
Páginas: 194
Editora: Panini
Preço: R$ 10,90
Classificação: +12


Bom, isso não é tudo que se tem a dizer sobre Dragon Ball, mas é tudo que eu pude dizer em um só post. Mais uma vez, o texto ficou enorme! Nas próximas resenhas, testarei formatos menores para facilitar a minha vida também! Espero que esse texto seja útil a alguém de alguma forma. Até a próxima! 

~Nana~